segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Infinito Desejo


Ah, infinito delírio chamado desejo
Essa fome de afagos e beijos
Essa sede incessante de amor
Ah, essa luta de corpos suados
Ardentes e apaixonados
Gemendo na ânsia de tanto se dar
Ah, de repente, o tempo estanca
Na dor do prazer que explode
É a vida, é a vida, é a vida
E é bem mais
Esse teu rosto sorrindo, espelho do meu
No vulcão da alegria
Te amo, te quero, meu bem
Não me deixe jamais
E eu sinto a menina brotando
Da coisa linda que é ser tão mulher
Oh, santa madura inocência
O quanto foi bom e pra sempre será
E o que mais importa é manter essa chama
Até quando eu não mais puder
E a mim não me importa nem mesmo
Se Deus não quiser

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...