terça-feira, fevereiro 27, 2007

Intrusos


Formada em 2005, os Intrusos surgiram de uma conversa informal entre Andre Araújo ,Alex Negão e Ricardo da Cunha Melo. Pelo amor ao rock and roll sem rodeios e sem paciencia pra som-cabeça-psico-intelectualoide-mistura, e pelo pavor do que se toca na maioria das radios, começaram a fazer musicas para auto - diversao e pelo prazer de tocar. Procurando a simplicidade sempre e partindo da idéias de ter idéias, a banda vem com a intenção de tocar onde quer que seja.As letras falam basicamente dos absurdos que moldam a vida atual, e de como o mundo esta, definitivamente, de cabeça pra baixo. Isso tudo , claro, sem perder o bom-humor, a espontaneidade e a sagacidade.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Rec Beat 2007


Vejam voces, enquanto eu expresso minha modesta opiniao, dizendo que realmente as letras deixam muito a desejar no rock atual, eis que a grande revelação do Rec-Beat é uma banda instrumental, ou seja, sem letra!!!!!!!!!!A Rivotrill merereceu sem duvidas ser o destaque do fraco Rec BEat 2007, mas quando eu digo que o negocio ta feio, meus amigos, voces nao acreditam ...

domingo, fevereiro 18, 2007

O Buraco



Um buraco escuro

Onde a luz do sol não chega

E o vento covarde

Apaga as velas solidárias...

Um buraco sem fundo, um poço fúnebre

Onde se joga o lixo e os restos!

Quem ousaria chegar a beira

Desse pavoroso buraco escuro???

Não ha saída deste túnel vertical!

Não há entrada nesse fio de morte!

Um buraco apagado e esquecido

No meio da mata de um coração frio

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

V de Vingança



Filme que tem roteiro dos irmãos Wachowski, os responsáveis por Matrix, e que de certa forma recuperou o prestigiu que, para alguns, eles perderam com as continuações da famosa trilogia de ficção-científica. Aqui eles deixaram a direção a cargo de seu assitente James McTeigue, que cumpre bem a tarefa. O filme é baseado em uma das melhores histórias em quadrinhos de todos os tempos, escrita por Alan Moore (que já teve outras criações suas transportadas para o cinema, mas nunca concordou em nada com essas versões) e desenhada por David Lloyd. Em uma Inglaterra que é governada por uma ditadura, um justiceiro mascarado busca vngança e liberdade. Ele é V (interpretado por Huge Weaving, de Matrix, e que tem o rosto escondido o tempo inteiro por uma máscara). Na sociedade do futuro em que V habita, os EUA ruíram em uma guerra confusa e a Inglaterra só sobreviveu graças a um governo fascista. A imagem do país é austera como o rosto do chanceler Sutler (John Hurt de Manderlay), que fita os cidadãos na TV, nos outdoors, como se estivesse vigiando tudo. Existem também os Fingermen, uma força policial com poder de invadir a residência de qualquer um sem mandato judicial. E ainda atos de repressão a qualquer minoria que tente se manifestar. O governo do Chanceler Sutler tenta sufocar a audácia de V colocando toda a força policial em seu encalço, mas o excêntrico terrorista parece mais preocupado em se aproximar de Evey (Natalie Portman), que justamente trabalhava no estúdio de TV. O mascarado leva a mocinha para seu esconderijo e a faz tomar contato com um mundo de coisas proibidas, desde livros e filmes até canções e poesias. É aqui que V de Vingança transcende sua proposta de entretenimento. Além do conflito com a velha moralidade, V acaba levando a menina a entender conflitos mais ambíguos: aqueles que se passam no interior da alma, as tragédias que limitam a auto-realização, a guerra entre a vida e o idealismo.

terça-feira, fevereiro 06, 2007

O Poeta Que Vendia Medalhas


A grande mairoia dos concursos literarios que vejo pelo mundo internético , premiam seus vencedores com diplomas e medalhas.O poeta que faz seus versos e deixa explicita suas conviccoes nao quer saber de um pedaço de papel, ou de um ´pedaço de lata . A escrita que sai viva das maões ,esta avida por coisas que deixem seu coraçao melhor, sua cabeça melhor e seus passos mais direcionados.Poesia nao enche barriga e nao vai feliz pra uma viagem distante. O poeta e sua poesia tem que ser valorizados de forma que venha a somar literalmente as visoes futuras.Por que nao distribuem no lugar das mençõoes honrosas, apoio honroso para que cada vez mais brote o interesse maior pela literatura.

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

mÚSICA pRA aDESTRAR mACACO




Como disse Marcelo Nova , em pleno Festival de Verao de Salvador , enquanto gravava o unico dvd do Camisa de Venus:"Aqui ninguem vai falar: Tira o pe do chao galera!!!Enfia o dedo no cu e pula! POR QUE EU NAO FAÇO MUSICA PRA ADESTRAR MACACO!"E o que se viu na "volta do morto vivo", nao foi nada menos que cenas de selvageria pura, uma festa tao desnecessaria como a maioria das bandas indies, Vimos miseraveis desnorteados avidos pelo uh terere ivetesangalistico, atropelando qualquer sinal de sobriedade, pessoas , latas e tudo que tivesse pela frente.Como disse Roger de Ronor, fica ai o anti-exemplo para que se desintegre de vez o que ja era pra ter sido desintegrado ha tempos.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...