domingo, março 29, 2009

Velha Gargalhada


Pior que estar só e estar só na madrugada. Nada pra fazer.
Sem perspectivas de amanhã cedo. Sem ninguem pra lamentar.

É terrivel ver os pensamentos mudando de cor, as estrelas se apagando vagarosamente e o cinzeiro cada vez mais cheio de restos de cigarro.
Abandonei o alcool faz muito tempo, o que me faz sentir mais solitario ainda, percebi que a companhia do mesmo havia me enjoado. Me dado náuseas.
Era sempre a mesma conversa e o mesmo desequilibrio no volume do radio e na vontade de pular.
Eu olho pra vazio e vejo tanta coisa no passado... Meu Deus! Meu mundo era bom e eu nem sorria! O que existe entre o silencio e uma lagrima??
Eu tentei ler algum livro que me fizesse leve. Eu quis muito saber onde estava a velha gargalhada que me acompanhou durante muitos e muitos anos. Fico pensando onde sera que foi parar! Será que invadiu outro rosto desavisado e guarda para ele o mesmo sumiço que me deu de presente???Pode ser... A gente nunca sabe de nada mesmo...
Eu tenho medo!Eu tenho medo de não sei o que! Mas este não sei o que pisa tão forte no chão do mundo que sinto seu barulho desde já
Esse medo torto nao me assusta! Isso tudo sera poeira com mais algum tempo em cima, eu sei...
Eu estou beijando a brisa dessa noite sem nenhum amor no coração.

sexta-feira, março 27, 2009

O novo rockstar de Recife : João do Morro !


Nada contra esse artista e seu trabalho, porém devo lembra aos que lêem agora, nesse exato momento, que estamos falando de rock.Que felicidade sentiram tantos " rockeiros " ao poderem botar as manguinhas de fora e enfim arriscarem uns passos ao som do novo héroi musical!!!Esta é a grande chance que agora todos eles tem de botar o seu lado "pagodão" pra fora, sem ter a preocupaçao de manterem a falsa postura rock and roll.E eis que agora o " novo Chico Science as avessas " assola ate festivais renomados na cidade e em outros nem tanto, mas o fato é que pessoas que conheço e que sao do rock cada vez mais sorriem assustados do monstro sist !!!Todo mundo dançando Joao do Morro e invadiram nosso quintal, ou melhor, nossa praia ou talvez melhor um dos ultimos redutos de não - poluiçao sonora. A moda agora são "os boyzinhos "e as "meninas correndo da tempestade por que flevaram uma pisa de balaiagem ".E eu acabo cada vez mais apaixonado pela minha vitrola vde vinil velho , pelo myspace e pelo window media player...É claro que cada um samba o rock que quizer, se alivia como quizer e torce pro time que quiser, mas pelamor, não coloquem Pitu no meu Jack Daniels!!!! E vamos pro samba!p.s - nada contra Pitu!

quarta-feira, março 25, 2009

Outros Intrusos

video

terça-feira, março 24, 2009

Crime



A justiça não pode ser obtida sob nenhuma Lei que seja - uma ação que está de acordo com a natureza espontânea, uma ação justa, não pode ser definida por dogmas. Os crimes defendidos nesses planfletos não podem ser cometidos contra o 'si mesmo' ou o 'outro', mas apenas contra a mordaz cristalização de Idéias em estruturas de Tronos & Dominações venenosas. Ou seja, não crimes contra a natureza ou contra a humanidade, mas contra a ordem legal. Mais cedo ou mais tarde, o descobrimento & a revelação do ser/natureza transformam uma pessoa num bandoleiro - como se ela visitasse outros mundos & ao retornar, descobrisse que foi declarada traidora, herege, um ser exilado. A lei espera que você tropece num modo de ser, uma alma diferente do padrão de 'carne apropriada para o consumo' aprovado pelo Sistema de Inspeção Federal - &, assim que você começa a agir de acordo com a natureza, a Lei o garroteia & estrangula - portanto, não dê uma de mártir abençoado & liberal da classe média - aceite o fato de que você é um criminoso & esteja preparado para agir como tal. Paradoxo: adotar o Caos não é escorregar para a entropia, mas emergir para a energia semelhante à das estrelas, uma espécie de graça instantânea - uma organização orgânica espontânea completamente diferente das pirâmides sociais putrefatas dos sultãos, muftis, cádis & carrascos. Depois do Caos, vem o Eros - o princípio da ordem implícito no vazio do Uno Inqualificável. O amor é
estrutura, sistema, o único código não contaminado pela escravidão & pelo sono drogado. Precisamos nos tornar vigaristas & persuasivos para proteger sua beleza espiritual num bisel de clandestinidade, num secreto jardim de espionagem. Não apenas sobreviva, enquanto espera que a revolução de alguém ilumine suas idéias, não se aliste no exército da anorexia ou bulimia - aja como se já fosse livre,calcule as probalidades, pule fora, lembre-se das regras de duelo - Fume Maconha/Coma Galinha/Tome Chá. Todo homem tem sua própria vinha & sua figueira - carregue seu passaporte mouro com orgulho, não fique parado no meio do fogo cruzado, proteja-se - mas arrisque-se, dance antes que fique calcificado...
O mundo já foi recriado segundo o desejo do coração - mas a civilização é dona de todas as locações & da maioria das armas. Nossos anjos ferozes exigem que invadamos a propriedade alheia, porque se manifestam apenas em solo proibido. O Ladrão de Estrada. A ioga da clandestinidade, o assalto relâmpagop, o desfrute do tesouro.

segunda-feira, março 23, 2009

Até as formigas estão correndo


Até as formigas estão correndo!

Elas estão , na verdade

Com um pavoroso temor

De serem invisivelmente esmagadas!


Reparei na pressa das formigas

Logo após me espantar

Com a velocidade doida

Com que o carro vai...


E como o vento era veloz também!

Fios eletricos ao vento, vendaval

E o estádio das formigas lotado

Parecia dia de carnaval!


O relógio , que surpresa!

Me reclamava que estava atrasado

Que ja era hora de ir embora

E fazer o mundo ao contrário!

quarta-feira, março 18, 2009

Amor Louco


amor louco não é uma social-democracia, não é um parlamentarismo a dois. As atas de suas reuniões secretas lidam com significados amplos, mas precisosdemais para a prosa. Nem isso, nem aquilo - seu Livrode Emblemas treme em suas mãos. Naturalmente ele caga para os professores & para a polícia, mas também despreza os liberais & os ideólogos- não é um quarto limpo & bem iluminado. Um topógrafo embusteiro projetou seus corredores & seus parques abandonados, criou sua decoração de emboscada feitade tons pretos lustrosos & vermelhos maníacosmembranosos... O anarquismo ontológico nunca retornoude sua última viagem de pesca. Conquanto ninguém nos denuncie para o FBI (CIA), o CAOS não se importa nemtão pouco com o futuro da civilização. O amor loucoprocria apenas por acidente - seu objetivo principal é engolir a Galáxia. Uma conspiração de transmutação...O amor louco é saturado de sua própria estética, enche-seaté as bordas com a trajetória de seus próprios gestos, vive pelo relógio dos anjos, não é um destino adequadopara comissários ou lojistas. Seu ego evapora-se com a mutalidade do desejo, seu espírito comunal murcha em contato com o egoísmo da obsessão. O amor louco pedesexualidade incomum, da mesma forma que a feitiçaria exige uma consciência incomum. O mundo anglo-saxãopós-protestante canaliza toda sua sensualidade reprimida para a publicidade & divide-se entre multidões conflituantes: caretas histéricos versusclones promíscuos & ex-ex-solteiros.

O Amor Louco não quer se alistar no exércitode ninguém, não toma partido na Guerra dos Sexos, entedia-se com os argumentos a favor de iguaisoportunidade de trabalho (na verdade, recusa-se a trabalhar para ganhar a vida), não reclama, não explica, nunca vota & nunca paga impostos.O Amor Louco gostaria de ver todo bastardo ('filho natural')chegar ao fim de sua gestação e nascer - o AL vive deaparelhos antientrópicos - o AL adora ser molestado porcrianças - o AL é melhor que preces, melhor que sensimilla (3) - o AL leva para onde for suas própriaspalmeiras & sua própria lua. O AL admira o tropicalismo,

a sabotagem, a break dance, Layla & Majnun (4), o cheirode pólvora e de esperma. O AL é sempre ilegal, não importase disfarçado de casamento ou de um grupo de escoteiros -sempre embriagado do vinho de sua próprias secreções oudo fumo de suas virtudes polimorfas. Não é a deterioração dos sentidos, mas sim sua apoteose - não é resultado dada liberdade, mas seu pré-requisito.

segunda-feira, março 16, 2009

Cronômetro


Que felicidade mais triste apareceu! Uma felicidade desbotada! Um sorriso seco! Uma certeza incomodando baixinho que vai haver outro trovão.

E por mais que esteja tudo sorrindo torto e etílico, agora existe um tamanho imenso de falta de espaço. Falta espaço onde nao cabe mais nada...Falta essa cor e esse grito que não se vê...

Mesmo no gol , no sublime momento do gol, alguma coisa mostra escondido que antes era diferente, saudosista do que virá...

Ora! Amanhã...A manhã...

Esse risco diário se cria. Tem pernas invisiveis e anda ora depressa, hora quase parando...ora!

São mais 10 minutos pra luz chegar. Devagar é claro! Com essa banda imaginaria!

São anos que parei de contar por uma nova vida após uma primeira morte. Sorte? Será?

Vamos andando...

Vamos...

Que já não e hora de ficar por aí!

sábado, março 14, 2009

Hemisfério esquerdo do meu peito


Batuco meu samba

Internamente

No compasso doido

Do coração


Samba leve da saudade

Dá saudade

Do amor maior

Hemisfério esquerdo do peito


SaÍ de casa

A rua na cadência

O tambor acelarando

E o tempo , e o tempo...


Agora vai chover

Estou prevendo

Vai cair uma tempestade

Dos olhos que carrego triste!







segunda-feira, março 09, 2009

Ando calado e olhando


Ando calado e olhando

Olhando calado

Ao lado

Tudo que me ladeia agora


Toda hora

Do lado de dentro

Daqui meiahora

Do lado de fora


Eu so escuto o silêncio

No meio do murmurinho

Só o silencio selado

Selando meu pensamento


Tem música nesse silencio

Nesse amor, nesse tormento

Desviando do copo de vidro

Gritando a todo momento...


sexta-feira, março 06, 2009

Feijão Tropeiro !!


Ingredientes


3 cebolas médias fatiadas
• 3 colheres (sopa) de manteiga
• 1 maço de couve-manteiga
• 500 g de lingüiça de porco
• ½ colher (sopa) de fermento em pó
• 1 colher (sopa) de álcool
• 500 g de toucinho para torresmo (barrigada)
• 500 g de feijão
• sal a gosto
• 1 xícara (chá) de cebolinha verde picada
• 2 xícaras (chá) de farinha de mandioca
• 3 dentes de alho amassados



Modo de Preparo



Lave o feijão, coloque-o numa panela de pressão com 1 litro de água e leve ao fogo por 30 minutos, sem deixar que cozinhe demais os grãos devem ficar inteiros e mais duros do que de costume. Retire da panela e coe imediatamente, para interromper o cozimento. Reserve. Corte o toucinho em cubos, coloque numa tigela, junte o sal, o álcool e o fermento e misture. Numa panela, coloque 1/2 copo de água, adicione os cubinhos de toucinho e frite-os em fogo baixo. Quando amarelar (mas ainda estiver claro), retire o torresmo do fogo, coloque sobre uma peneira e deixe escorrer. Em seguida, aqueça muito bem a gordura que ficou na panela, coloque o torresmo escorrido e frite até dourar. Tome cuidado para que não fique muito escuro e amargo. Coloque sobre papel absorvente e reserve. Pique a lingüiça de porco, coloque-a numa frigideira e refogue, pingando um pouco de água, de vez em quando, para que frite em sua própria gordura. Reserve. Limpe, lave e seque as folhas de couve. Sobreponha as folhas, enrole e corte em tiras bem finas. Coloque na mesma panela em que foi preparada a lingüiça e refogue. Acerte o sal e reserve. Numa frigideira, derreta a manteiga, junte a cebola e o alho e refogue até a cebola dourar. Acrescente a farinha de mandioca, misture e, sem parar de mexer, deixe torrar. Adicione o feijão, a lingüiça e a couve e misture. Coloque a cebolinha, acerte o sal e deixe no fogo por mais 2 minutos, mexendo sempre. Transfira para uma cumbuca ou travessa, adicione os torresmos, misture e sirva. Se preferir, sirva os torresmos à parte

quarta-feira, março 04, 2009

In Extremis


Olavo Bilac



Nunca morrer assim!

Nunca morrer num dia

Assim! De um sol assim!

Tu, desgrenhada e fria,Fria!

Postos nos meus os teus olhos molhados,

E apertando nos teus os meus dedos gelados...

E um dia assim!

De um sol assim!

E assim a esferaToda azul, no esplendor do fim da primavera!

Asas, tontas de luz, cortando o firmamento!

Ninhos cantando! Em flor a terra toda!

O ventoDespencando os rosais, sacudindo o arvoredo...

E, aqui dentro, o silêncio... E

este espanto! E este medo!

Nós dois... e, entre nós dois, implacável e forte,A arredar-me de ti, cada vez mais a morte...E

u com o frio a crescer no coração, — tão cheioDe ti, até no horror do verdadeiro anseio

Tu, vendo retorcer-se amarguradamente,A boca que beijava a tua boca ardente,

A boca que foi tua!E eu morrendo!

E eu morrendo,Vendo-te, e vendo o sol, e vendo o céu, e vendo

Tão bela palpitar nos teus olhos, querida,

A delícia da vida!

A delícia da vida!

terça-feira, março 03, 2009

Ando abraçando o vento invisível


Ando abraçando o invisivel no vento!

Não é loucura o que me acomete

O nome disso

É saudade...


Saudade que invade

Chama pra dançar ao som do silêncio

Não tem hora marcada

E desconhece o tempo


A cor da saudade não tem cor

Se eu pudesse pinta-la à mão

Estamparia de negra:

Fachada da saudade!


Ando abraçando o vento invisível

Ando e imagino sorrindo

A materialização do perfume

E o tamanho inconteste daquele sorriso!


Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...