segunda-feira, março 31, 2014

Finalmente, a felicidade consiste, sobretudo, em se querer ser o que se é.

Dizei-me por obséquio: um homem que odeia a si mesmo poderá, acaso, amar alguém?
Um homem que discorda de si mesmo poderá, acaso, concordar com outro? Será capaz de
inspirar alegria aos outros quem tem em si mesmo a aflição e o tédio? Só um louco, mais
louco ainda do que a própria Loucura, admitireis que possa sustentar a afirmativa de tal
opinião. Ora, se me excluirdes da sociedade, não só o homem se tornará intolerável ao
homem, como também, toda vez que olhar para dentro de si, não poderá deixar de
experimentar o desgosto de ser o que é, de se achar aos próprios olhos imundo e disforme, e,
por conseguinte, de odiar a si mesmo. A natureza, que em muitas coisas é mais madrasta do
que mãe, imprimiu nos homens, sobretudo nos mais sensatos, uma fatal inclinação no
sentido de cada qual não se contentar com o que tem, admirando e almejando o que não
possui: daí o fato de todos os bens, todos os prazeres, todas as belezas da vida se
corromperem e reduzirem a nada. Que adianta um rosto bonito, que é o melhor presente que
podem fazer os deuses imortais, quando contaminado pelo mau cheiro? De que serve a
juventude, quando corrompida pelo veneno de uma hipocondria senil? Como, finalmente,
podereis agir em todos os deveres da vida, quer no que diz respeito aos outros, quer a vós
mesmos, como, — repito — podereis agir com decoro (pois que agir com decoro constitui o
artifício e a base principal de toda ação), se não fordes auxiliados por esse amor próprio que
vedes à minha direita e que merecidamente me faz as vezes de irmã, não hesitando em tomar
sempre o meu partido em qualquer desavença? Vivendo sob a sua proteção, ficais
encantados pela excelência do vosso mérito e vos apaixonais por vossas exímias qualidades,
o que vos proporciona a vantagem de alcançardes o supremo grau de loucura. Mais uma vez
repito: se vos desgostais de vós mesmos, persuadi-vos de que nada podereis fazer de belo,
de gracioso, de decente. Roubada à vida essa alma, languesce o orador em sua declamação,
inspira piedade o músico com suas notas e seu compasso, ver-se-á o cômico vaiado em seu
papel, provocarão o riso o poeta e as suas musas, o melhor pintor não conquistará senão
críticas e desprezo, morrerá de fome o médico com todas as suas receitas, em suma Nereu
(34) aparecerá como Tersites, Faão como Nestor, Minerva como uma porca, o eloqüente
como um menino, o civilizado como um bronco. Portanto, é necessário que cada qual
lisonjeie e adule a si mesmo, fazendo a si mesmo uma boa coleção de elogios, em lugar de
ambicionar os de outrem. Finalmente, a felicidade consiste, sobretudo, em se querer ser o
que se é. Ora, só o divino amor próprio pode conceder tamanho bem. Em virtude do amor
próprio, cada qual está contente com seu aspecto, com seu talento, com sua família, com seu
emprego, com sua profissão, com seu país, de forma que nem os irlandeses desejariam ser
italianos, nem os trácios atenienses, nem os citas habitantes das ilhas Fortunadas. Oh
surpreendente providência da natureza! Em meio a uma infinita variedade de coisas, ela
soube pôr tudo no mesmo nível. E, se não se mostrou avara na concessão de dons aos seus
filhos, mais pródiga se revelou ainda ao conceder-lhes o amor próprio. Que direi dos seus
dons? É uma pergunta tola. Com efeito, não será o amor próprio o maior de todos os bens?

domingo, março 30, 2014

Charles Bukowski

Revolução soa muito romântico, vocês sabem, mas não é. É sangue, culhão e loucura; é menininhos mortos que ficam no caminho, menininhos que não entendem porra nenhuma do que está acontecendo. É a sua puta, a sua mulher rasgada na barriga por uma baioneta e depois estuprada no cú enquanto você olha. É homens torturando homens que costumavam rir com as historinhas do Mickey Mouse . Antes de você entrar nesta coisa, decida onde está seu espírito e onde ele estará quando a coisa tiver terminado. Eu não acredito que nenhum homem tem o direito de tirar a vida de outro homem. Mas talvez mereça um pouco de reflexão antes. É claro, a porra é que eles têm tirado as nossas vidas sem disparar um tiro.
Charles Bukowski

Clarice Lispector

E foi tão corpo que foi puro espírito".
A loucura é vizinha da mais cruel sensatez.
Engulo a loucura porque ela me alucina calmamente.
"Bem atrás do pensamento tenho um fundo musical"
"Escuta: Eu te deixo ser, deixa-me ser então"
"Sabe o que eu quero de verdade?! Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma. Porque sem ela não poderia sentir a mim mesma..."
"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..."
"Fiquei com vontade de chorar mas felizmente não chorei, porque quando choro fico tão consolada..."
"Por enquanto, estou inventando a tua presença."
" Minha saudade anda assim espalhada, apertada, sufocada em pequenos espaços geográficos onde pedaços do meu coração residem
"Pois logo a mim, tão cheia de garras e sonhos, coubera arrancar de seu coração a flecha farpada. De chofre explicava-se para que eu nascera com mão dura, e para que eu nascera sem nojo da dor. Para que te servem essas unhas longas? Para te arranhar de morte e para arrancar os teus espinhos mortais, responde o lobo do homem. Para que te serve essa cruel boca de fome? Para te morder e para soprar a fim de que eu não te doa demais, meu amor, já que tenho que te doer, eu sou o lobo inevitável pois a vida me foi dada. Para que te servem essas mãos que ardem e prendem? Para ficarmos de mãos dadas, pois preciso tanto, tanto, tanto - uivaram os lobos e olharam intimidados as próprias garras antes de se aconchegarem um no outro para amar e dormir. "
"Como se visse alguém beber água e descobrisse que tinha sede. Sede profunda e velha. Talvez fosse apenas falta de vida: estava vivendo menos do que podia e imaginava que sua sede pedisse inundações."
Clarice Lispector

quarta-feira, março 19, 2014

Alto

Esse vento intenso
Que bate em meu rosto
Espanca a minha alma
E  tudo que dorme no peito

Desde a cor da saudade
Até a felicidade
Que sempre se esconde tão sádica
Num lugar que nunca encontrei

Esse vendaval que dança
Sempre ao lado da chuva mansa
Convida uma lágrima perdida
Pra bailar ao som  do silencio

E lá do alto do céu
As estrelas despejam cores
Apagando o breu calado
Que vela o meu coração !

segunda-feira, março 17, 2014

Gota

Ping
Pling
Ping
Ping...
E meu coração a mil!
Pling
Ping
Ping
E os pensamentos ecoando....
Ping
Pling
E já não sinto meu coração...
Ping
Pling
Ping
De manhã não acredito
Em olhos abertos...

quinta-feira, março 13, 2014

Agora é Tarde com Rafinha Bastos :" Faltou açúcar


Que susto eu tive ao ver o Agora é tarde " dessa vez comandado por Rafinha Bastos na Band.
Ele começa cantando (Sic) fazendo uma alusão invisivel ao pessimo cantor Danilo Gentili ( Opa  Eu sei cantar)   , ja de cara causando estranhamento.Isso pra começar...
Ele conseguiu fazer uma entrevista com Lobão ficar sem graça e cansativa, com piadas  preparadas e sem naturalidade,dando a entender que criatividade no dialogo nao éla o seu ponto forte.
Perdido, semsaber se imita tudo ou maisou menos,Rafinha  coloca  um personagem  "Dilma" que causa vergonha aleheia a cada segundo em  que vai ao ar.....
Rafinha Bastos  agoratem a dificieimprovavel missao de sair do lugar comum e acrescentar algo de verdade  a frente  do programa.

Ahh e como  disse Ronnie Von , aos ser desafiado a preparar uma caipirinha, que ja estava aos goles do apresentador :" Faltou açucar ".

segunda-feira, março 10, 2014

11 Maneiras de ser Ordinariamente Mediano



A HQ abaixo é mais um trabalho interessante do Zenpencil ilustrando algumas palavras do empreendedor e escritor Chris Guillebeau, administrador do blog The Art of Non-Conformity (A Arte da Não-Conformidade) onde ele ajuda quem quer fazer o que gosta, a encontrar uma forma de usar seus talentos de forma significativa. 
Chris também é louco por viagens e está perto de concretizar seu longo empreendimento de visitar cada país do mundo. Esteja viajando pelo planeta, escrevendo, dando palestras, lançando novos produtos ou organizando encontros de Dominação Mundial, uma coisa é certa: Chris NÃO TEM uma vida ordinariamente mediana.

domingo, março 09, 2014

Cadente Estrelinha

Madrugada na varanda
Minh'alma bem tristinha
Ai meu Deus me alegra
Com uma cadente estrelinha ...

Se eu pudesse

Se eu pudesse
Faria um rasgão no  tempo
E desesperado
Colheria tudo que perdi!
Desde brinquedos antigos
Poemas esquecidos
Até a promessa tenra de amor
Que eu não sabia faria tanta falta...
Se eu pudesse de novo
Colheria as flores invisíveis
De um vento vero  louco
E o perfume desapercebido
De outros carnavais...
E devolveria ao tempo ,rasgado
No diâmetro por mim causado
Toda lagrima desnecessária
Que roubei de quem bem sei
E de quem nem imaginei...

Procura-se

Procura-se um lugar escuro
Noturno
Onde o maior clarão
Se faça sol
Solitário.
Onde os  urros de felicidade
não sejam escutados
para que nenhum ser
armado
e  mal amado
venha contar as silabas dos  versos
tentando virar do avesso
num tropeço covarde
que  faça-se  perder a memoria
e o que seria real historia.
E que nenhum sem cor
sem flor no fuzil
atire do penhasco
0 que separa a euforia
do silencio lapidal...
E que novamente
o repetido carnaval
seja trombeta repentina
e que os ebrios
se misturem aos sóbrios
e de mãos dadas
aos supostamente serio loucos
deixem cair resquicios
de uma junção
que não tem nome
e apenas atende
pela alcova
de vazio colorido
pintado por Deus .
Se consegues manter a calma
quando à tua volta todos a perdem
e te culpam por isso.

Se consegues ter confiança em ti
quando todos duvidam de ti
e aceitas as suas dúvidas

Se consegues esperar sem te cansares por esperar
ou caluniado não responderes com calúnias
ou odiado não dares espaço ao ódio
sem porém te fazeres demasiado bom
ou falares cheio de conhecimentos

Se consegues sonhar
sem fazeres dos sonhos teus mestres

Se consegues pensar
sem fazeres dos pensamentos teus objectivos

Se consegues encontrar-te com o Triunfo e a Derrota
e tratares esses dois impostores do mesmo modo

Se consegues suportar
a escuta das verdades que dizes
distorcidas pelos que te querem ver
cair em armadilhas
ou encarar tudo aquilo pelo qual lutaste na vida
ficar destruído
e reconstruíres tudo de novo
com instrumentos gastos pelo tempo

Se consegues num único passo
arriscar tudo o que conquistaste
num lançamento de cara ou coroa,
perderes e recomeçares de novo
sem nunca suspirares palavras da tua perda.

Se consegues constringir o teu coração,
nervos e força
para te servirem na tua vez
já depois de não existirem,
e aguentares
quando já nada tens em ti
a não ser a vontade que te diz:
"Aguenta-te!"

Se consegues falar para multidões
e permaneceres com as tuas virtudes
ou andares entre reis e pobres
e agires naturalmente

Se nem inimigos
ou amigos queridos
te conseguirem ofender

Se todas as pessoas contam contigo
mas nenhuma demasiado

Se consegues preencher cada minuto
dando valor
a todos os segundos que passam

Tua é a Terra
e tudo o que nela existe
e mais ainda,
tu serás um Homem, meu filho!"

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...