segunda-feira, setembro 24, 2007

A Terceria vez que Enlouqueci




Na primeira vez que enlouqueci

Lembro que fazia sol

Havia um ceu enfeitado

E uma caneta invisivel

Da terceira vez que enlouqueci

Ja se iam 7 cervejas

Uma vontade de nao preocupar

E uma sequencia de sorrisos

Eu queria estar mais distante

Na terceira vez que enlouqueci

Mas o pensar pulsante

Me fez prestar atençao

Na terceira vez que enlouqueci

O vento era meu amigo

A cabeça era mutante

E quem mandava era o coraçao...

quarta-feira, setembro 19, 2007

Incondicional










Porque eu nao sei


Falar de amor


Sem entrar em pranto


Sem sentir a dor


Nao sei beijar


Dispersamente


Como quem foge


Ou como quem mente


Mergulho profundo


O coração desfila


Na corda bamba


Meu mundo gira


Escrevo poemas


A meia noite


Mando torpedo


Que mata o medo


Penso sem querer


Quero sem pensar


No fim da tarde


Nos brinda o mar


E meu refugio


Do que eu nao sei


Vem no sabor


Que duvidei...

sábado, setembro 15, 2007

Cuba Libre


Segue dançando leve

Com seu amor

A chave esta no seu bolso

E voce nao tem hora marcada

Desliza sutil na madrugada

Me chama junto com o sol

Deixa o telefone desligado

Que eu prometo nao ligar

Esse ar que respiramos juntos

Passa de boca a boca

Move o mundo todo

E fica inerte no cerebro

Deixa viva as suas asas

Voa ! Voa! Voa!

Vai la no alto do seu céu

E volta pra perto de mim!

Amor Cadaver

Permissao ao Sorriso




Entao agora eu vou sorrir

Vou pendurar a razao no armario

Abrir um entorpecente

E sorrir!

E que esteja tudo cinza

Nao me importa!

E que esteja tudo belo

Muito importa??

Mas eu vou sorrir nesse abismo

Nesse ceu

Nessa festa

E nesse purgatorio

Podem ate sorrir de mim

Pelos cantos, por ai

Mas o que mesmo importa

É que agora eu vou sorrir

quinta-feira, setembro 13, 2007

Mil Batons




Esse corpo que esta em meu coraçao

Esta pelo avesso

Foi uma grande discordancia

Esse processo

Quantas noites cabem

Nesse quarto amplo?

Quem dira que tudo isso

Foi em vão???

Posso acordar feliz

Com mil faces

Mil tons de batons

Colorindo meu edredon...

Quero os tons de batons

E o enfeitado edredon

Emoldurando um sorriso que sinto

Ecoando la no futuro... !!!

Carne !


Antes eu fosse feito de pedra, que fica escondida no silencio vertiginoso do fundo de um rio escuro. Antes mesmo eu fosse feito de plastico, que na sua existencia ambigua, espera centenas de anos ate que se decomponha por debaixo do solo concreto e abafado.Pudera eu ser feito de madeira perdida, que no meio da estrada se resseca cada vez mais pela força do implacavel sol.Outrora eu poderia ser apenas mais uma folha da arvore, presa a seu destino de so se mover com autorização do vento e da certeza triste de que nunca conhecera outros quintais. Pudera eu ser feito de qualquer materia bruta, solida,irracional, petrificada. Queria eu ser feito de qualquer coisa , de qualquer estado, mas nao dessa força instintiva, voraz e insandecida que atende pelo nome de carne !!

domingo, setembro 09, 2007

Nem o Sol


Nessa noite que vagamos grudados

Esqueci o que é pecado

Queimei todas as convenções

So pelo seu beijo

Nao quiz saber se era noite

Se brilhava um intenso sol

Porque o meu farol

Era voce e seu sorriso

Foram 9 cervejas geladas

Uma carteira de Free

Foram 2 conhaques selvagens

So pra mim

E voce no seu banho absurdo

Mortais belas curvas absurdas

Foi onde me entorpeci

Numa overdose de ti !!

domingo, setembro 02, 2007

Dez Esperanças


Hoje o tempo é um tapa na cara.Um interrogatorio sem respostas...Por que algo ficou preso num passado remotoAlgo que hoje não desamarra os pecados.Tudo ficou mais dificil , e viver, agora éAlgo que não vive em meus pensamentos futuros.Tudo foi perdido. Tudo flutua no espaço. ImaginoComo seria bom se uma bomba explodisse em meu coração fraco, medroso,Inibido pelas respostas que não consegui pintar no quadro vivo da minha anti-vida.O amor nunca veio, pois nunca veio a dor. Preciso de remedios para minha alma que paira doentePresa a essa matéria que não sabe o porque de absolutamente nada.. .e nem quer saber...Talvez eu saia correndo com os olhos vendados. Talvez eu entre no mar sem saber nadar. Mas logo vejo a cena e chego a cruel definição que seria muito fácil se assim o fizesse, e a covardia de sobreviver se recusa a esvaziar – se da matéria.Um dia colorido é algo imaginário. Um dia onde todos os rancores seriam vomitados e toda incerteza expelida de forma que só restasse uma alegria parecida ao aceno de uma criança.Se eu ainda escrevo algo e rabisco desenhos confusos ( retratos de uma memoria não menos confusa) é porque ainda espero por um gol de placa nesse jogo truncado, e ainda sonho com um estádio lotado, repleto de euforia e de extase,estádio este que me atrevo a chamar(visto que nada tenho) de meu coração...!Ainda vejo passos na rua escura. Ainda espero sinais.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...