quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Manoel de Barros ! ! ! ! !

Difícil fotografar o silêncio.
Entretanto tentei. Eu conto:
Madrugada, a minha aldeia estava morta. Não se via ou ouvia um barulho, ninguém passava entre as casas. Eu estava saindo de uma festa,.
Eram quase quatro da manhã. Ia o silêncio pela rua carregando um bêbado. Preparei minha máquina.
O silêncio era um carregador?
Estava carregando o bêbado.
Fotografei esse carregador.
Tive outras visões naquela madrugada. Preparei minha máquina de novo. Tinha um perfume de jasmim no beiral do sobrado. Fotografei o perfume. Vi uma lesma pregada na existência mais do que na pedra.
Fotografei a existência dela.
Vi ainda um azul-perdão no olho de um mendigo. Fotografei o perdão. Olhei uma paisagem velha a desabar sobre uma casa. Fotografei o sobre.
Foi difícil fotografar o sobre. Por fim eu enxerguei a nuvem de calça.
Representou pra mim que ela andava na aldeia de braços com maiakoviski – seu criador. Fotografei a nuvem de calça e o poeta. Ninguém outro poeta no mundo faria uma roupa
Mais justa para cobrir sua noiva.
A foto saiu legal.
Manoel de Barros

quarta-feira, fevereiro 26, 2014

Sessão Coruja - Hooligans

Ótimo filme que retrata o submundo dos Hooligans no Reino Unido!

sábado, fevereiro 22, 2014

Hoje serão outros passos

Hoje serão outros passos.Nem me atrevo a conta-los. Indo para o mesmo lado, com o mesmo sapato velho e um olhar atormentado e inquieto.
Torturante é o dinheiro! Torturante! Vejo os bares lotados de gente vazia, num rebolar constante de lembrar o  carnaval. Acompanham sorrisos altos e ecos fantasmagóricos de filme de terror.
Estão todos mais loucos do que eu! Não sei se tenho medo ou se visto a fantasia. Não sei se meu caso é de hospício ou se subornei o guarda da Matrix brasileira...
Eu vou para o mesmo lado! Eu enxergo a mesma mesa meia escura e vazia, reduto para sentir o vento vivo e ouvir o som solitário nos meus fones.
Peço uma bebida qualquer, só pra passar o tempo e acendo ( novamente ) o cigarro que não desgruda de mim...
É outra terça-feira qualquer e os pássaros cinzas colorem o céu .É mais um dia de fevereiro que meu coração pergunta angustiado para o cérebro: Meu Deus! Até quando???
E as vidas estendidas de ti salvam mais uma vez o resto da vida .

domingo, fevereiro 16, 2014

As Bolsas

Então eles continuam financiando a miséria, a pobreza e a falta de educação. Eles distribuem  bolsas!
Não as coloridas que inspiram poemas , mas sim as que os reduzem a uma especie de gado,que engordam filas infinitas a custa dum minimo de ração..razão??
E  medem cruelmente a dose certa. Eles determinam  a quantidade ideal para seus interesses. Sabem exatamente o que querem que pensem, e aprender é palavra riscada e excluida. Tem exatamente em mente a dança idiota do proximo verão, custeada  pela televisao que vomita uma falsa alegria,um glamour de corpos perfeitos prontos para serem enterrados com funk tocando no fundo musical...
A maldade é tão sordida que ate os permite achar que sabem de algo e assim deixam que o que eles pensem que seja opiniao seja declarado aos quatro cantos. E gritam suas certezas! E votam no reality show! E se inspiram em novelas ! E abraçam o anormal de olhos vendados! E esperam o carnaval! E vibram com o falso gol!
Precisam de Mcdonald e de tenis superfaturado. Nao trocam  o canal pois ali esta o modelo. E pintam seus herois de areia como se fossem Deuses e , enquanto isso, Deus deve assistir a tudo atonito com as maos no  firmamento relembrando  Jesus: Perdoai-vos! Pois eles não sabem ( e talvez jamais saberão) o que fazem !!

quarta-feira, fevereiro 12, 2014

POEMAS - Faces de Sobriedade e Loucura

 Musica!


Um baterista atras  do palco fazendo a trilha !


A 1 -Entra a triste e declama um verso, antes pega um papel com o titulo escolhido.
Sai perdidamente!
A 2 -Entra a louca! Confunde o papel com o titulo certo...pega errados  sorri..oferece a plateia...
A 3 -Entra a embriagada sobria! Encara  a plateia ,Seria ! Solta  repentinamente um sorriso solitario  ,,pra dentro...pega certa um pape titulo...Regorgita o texto!...continua...

Mateus 24:10

,,,,Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros,
e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.
Devido ao aumento da iniquidade, o amor de muitos esfriará,
mas aquele que perseverar até o fim será salvo.

Mateus 24:10-13

segunda-feira, fevereiro 10, 2014

Factotum - Sem Limites




Henry Chinaski (Matt Dillon) vive se empregando e sendo demitido de uma série de subempregos, que encontra para tentar bancar sua vida de bebedeiras, apostas em cavalos, mulheres e, principalmente, de escrever livros que nunca serão publicados.


do livro " Factotum " de Charles Bukowski

sexta-feira, fevereiro 07, 2014

Liberdade...

Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...
Fernando Pessoa

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...