sexta-feira, junho 11, 2010

É o tempo passando invísivel



A alegria de dormir tão tarde
A felicidade de acordar sorrindo
O prazer em desprezar o relogio
Isso que tira a noção do tempo...

Do tempo que eu vivo
Do tempo que eu tenho
Do gasto do tempo
Do tempo que vai me cobrar

É o tempo passando invísivel no vento
As vezes sorrindo
Poucas vezes triste
Dando um xao pela porta...

O tempo que dança com a chuva
Não lamenta o forte sol
O mesmo tempo em que eu desejo
Um futuro enquadrado em cor!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...