quinta-feira, dezembro 25, 2008

Feliz


Contrariando essa manhã
E esse sol impune
Um sorriso se vez vivo
Onde mesmo não cabia

Surpresa tanta! Susto!
E a gargalhada estava em ciranda
Com passos variados, varias posses
E um leve ar de certeza...

Tamanho pranto do outro eu
Que nada veio a entender
E fugiu apagando as luzes
Esperando o café da manhã

E o mar pareceu mais iluminado
As pessoas eram interespaciais
O coração esguichava sangue quente
O tempo parecia feliz!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...