quinta-feira, abril 24, 2008

A Morte Perdeu


A morte nao me causa mais espanto. A morte não me assusta mais. Quando vi a serenidade de minha tia no caixao, inerte, estatica, imovel, percebi que o fim nao tem gosto de nada e não se pode tocar.
As lagrimas pranteadas ao redor davam um incrivel contraste diante a indiferença do cadáver que não tinha a minima percepão do que se passava.
Penso que toda a dor que o mundo lança sobre nossos ombros se enterram antes mesmo do corpo , o que me da uma meia certeza de que morrer é magia. É realmente algo do além.
Depois dessa ( novamente ) meia convicçaõ passei a andar com um sorriso maior estampado na face. Passei a olhar mais pro céu e penso ate em parar de fumar. Acho que cada cerveja é tão sagrada quanto cada pão matutino e o beijo que eu desperdicei por raiva besta sera redobrado esta noite.
A morte queria me assustar fazia tempo! A morte queria por areia nas minhas vontades e me deixar trancado na caixa preta do meu quarto escuro. Engraçado é que agora eu consigo sorrir de tudo,( mesmo sendo um quase depressivo) afinal não é a antes indesejada das horas o que de verdade me traz problemas e confusões.
Agora que me faço mais vivo do que nunca vou rezar a Deus para que meu fim seja colorido, silencioso e indolor. Viva!!!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...