domingo, fevereiro 13, 2011

Enfim

Era total confusão o que se passava na cabeça daquele cidadão naquele momento. Havia conseguido o que tanto queria no longo desses arduos, intensos e rápidos anos: dinheiro, amor, estabilidade e segurança.
 Havia conquistado o brilho que os anos cobram, o poder poder estar por onde queria e do jeito que bem entendesse.
Mas eis que naquela tarde um súbito silencio lhe fez disparar o coração. O silencio do alto do 27 andar lhe propusera algo de destino, algo que não se sabe porque naquela exato momento lhe invadira o pensamento.
Sabia que qualquer cinema, qualquer bar ou qualquer repentino affair lhe distrairia a mente e traria um conforto para aquela hora, mas a grande verdade é que a angustia estava forte dentro do peito e o coração estava por disparar.
Insistiu em abrir outra garrafa de vodka pura e se pos defronte a grande televisão. Na bagunça colorida viu ( nao na tela) um tempo onde o nada era tão maravilhosamente belo e simples e que tinha ficado no cheiro bom da poeira que o tempo levou. Hora de voltar. O tempo lhe cobrara um sono que ele já nao queria mais.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...