segunda-feira, maio 18, 2015

Quase que totalmente brancos

Venho caindo abismo abaixo 
Ora pensando que pra cima
Num esculacho ao contario
Que se chama tempo
E me vejo em fotos...
Parece que foi ontem
Acho que descobri sem querer
Que o tempo sao rugas no rosto!
O vento esta no mesmo lugar
Embora em movimento
As ondas do mar
Repetidas eternas num vai e vem
A arvore imovel , despercebioda
A folha que seca e deixa a herança nos galhos
As estrelas no mesmo lugar
A lua como testemunha
O sol sempre a brilhar esperanças
E as rugas, a pele que se desfaz
E os meus cabelos brancos
Quase que totalmente brancos...
Eu acho que o tempo se disfarça em rugas
Em filmes coloridos
Em pensamentos distantes
E em todos esses meus cabelos brancos...
Quase que totalmente brancos...

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...