sexta-feira, novembro 28, 2014

Urgência

Sobrevivo ao teste difícil
De não poder te ter todo dia
De não poder dormir segurando suas mãos
Encarnando seu perfume em mim
Sobrevivo e passo cada noite
Esperando sua suavidade
Que ainda bem eu sei
Sempre vem...
E não olho o relógio
Deixo as horas a mercê do vento
Que conta histórias de amor pelo ar
E sempre prefere ser brisa suave...
Espero em transe enfim assim
Como quem não pede nada
Não exige nada
E se afoga quando vem o beijo!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...