terça-feira, outubro 30, 2012

Nessa rua escura e calma

Nessa rua escura e calma
De noite lenta e fria
Fico imaginando solitário
O tamanho da poesia...
No carro que passa sonolento
No cachorro de paz e alegria
No bebado que nem sente o vento
Sera  quanta poesia??
Na coruja que passa rasgando
No vigia que dorme ou cochila
Na estrela cadente ligeira
Quanta dose há de poesia?
Na lua que olha calada
Na arvore que dança tranquila
Na penumbra da luz dessa sala
Serão quantas mil poesias???

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Filme na madrugada. Disco velho. Livro empoeirado. Caixa fechada. Coração trancado. Monossilabo. Plural. Só. Viajante . Caseiro.
Loading...